Histórico

Em 1979 o Brasil ainda respirava o poluído ar proporcionado pelos "anos de chumbo", com a ditadura militar imperando. Era "manda quem pode e obedece quem tem juízo", funcionando como via de regra entre todas as classes sociais. Ao mesmo tempo em que o país fervilhava do ponto de vista político, com crescentes movimentos em prol da efetiva instalação da democracia, no extremo Leste da maior metrópole brasileira a impressão que se tinha era que nada acontecia. As engrenagens do desenvolvimento estavam enferrujadas e paradas.

Na época, essa região era estritamente periférica, com carências em todas as áreas e baixa qualidade de vida dos moradores. Na realidade, a Zona Leste se resumia num gigantesco dormitório e Itaquera já era um dos únicos bairros com espaço para sediar novas empresas que absorvessem-ao-menos-parte da mão-de-obra ociosa. Da mesma maneira que em todas as cidades brasileiras, por aqui também a migração era forte com organismos sociais caminhando na mesma direção: a busca do progresso através de um intercâmbio de idéias, o estabelecimento de políticas públicas para a geração de empregos que acelerasse a economia local e a promoção de serviços. Era preciso união de propósitos. Em outubro de 1979, a greve dos metalúrgicos estava no auge e como é normal nestas ocasiões, o desencontro de informações era bastante acentuado. O Brasil vivia sobre a sombra da censura, com a imprensa vigiada e limitada a publicar apenas o que interessava aos detentores do poder. E foi com o objetivo de discutir e ampliar o universo de informações em torno daquela situação que um grupo de oito empresários que atuavam no extremo Leste decidiu reunir a classe para os mais diversos questionamentos. O encontro aconteceu numa sala da Associação Cristã de Moços ( ACM), no Jardim Nossa Senhora do Carmo, em Itaquera. Assim em 28 de novembro de 1979 nasceu a Associação das Indústrias da Região de Itaquera(AIRI).

Os empresários - maioria ligada ao ramo de metalurgia- voltaram a promover as mesmas reuniões nas quais falavam sobre os problemas políticos, administrativos, e financeiros do País, mas essencialmente sobre meios para se promover o progresso industrial na então carente e precária Zona Leste. As primeiras reuniões da AIRI já demonstravam a importância que a entidade teria num futuro próximo, contribuindo decisivamente para o desenvolvimento da Zona Leste, hoje uma das áreas que mais recebe investimento publícos e privados. Os componentes da Associação, alguns dos quais desconhecidos entre si, aproveitaram os encontros para fortalecer a amizade - num clima de camaradagem - e trocar experiências, fato que serviu como um sustentáculo aos ideais da AIRI.

Mas muito além das meras discussões, a AIRI precisava de uma bandeira que simbolizasse seus objetivos e mostrasse as razões pelas quais foi constituida. Evidentemente, a implantação do Poló Industrial de Itaquera passou a ser a tônica das atividades da AIRI. Os anos de chumbo passaram deixando um saldo de preocupação, de rendimentos artistícos e culturais para o País e também de respeito à liberdade. Em 1985 o Brasil viu nascer a tão sonhada democracia, com a promoção de sua primeira eleição direta para a escolha do presidente da República, após a decretação do Golpe Militar, em 1964.

Grandes lideranças surgiram naquela década, entre elas o ex-sindicalista e ex-metalúrgico Luis Inácio Lula da Silva que, 20 anos depois, seria eleito presidente da República do Brasil. Os anos 80 foram de readequação política no País. São Paulo, que sempre ocupou o ranking da principal e mais rica cidade brasileira, conheceu a atuação de centenas de personalidades que ocuparam o poder público para transformar o caos em progresso. Diversas dessas pessoas tornaram-se autoridades públicas, voltando os olhos para as deficiências e as necessidades dos moradores e dos trabalhadores do extremo Leste.

Itaquera ganhou conjuntos habitacionais, tendo sua população duplicada. Por meio da bandeira do Polo Industrial, a AIRI foi ganhando cada vez mais notoriedade, transformando-se no principal palco de discussões sobre o desenvolvimento da Zona Leste.

Apolitica, a AIRI sempre agiu com transparência em suas iniciativas, e justamente por isso deixou de ser uma entidade exclusiva para a representação empresarial. As comunidades passaram a ter, nesta Associação, um ponto de apoio em suas reivindicações. Assim, lideranças de todos os setores (habitação, segurança, assistência social, saúde, esportes, lazer, educação, entre outros) tem espaço nas reuniões e palestras da instituição.

O fortalecimento da AIRI veio naturalmente. Ao chamado "grupo dos oito" juntaram-se outros 14 empresários e pessoas interessadas no progresso da Zona Leste. Assim, a entidade foi oficialmente fundada com a participação de 22 membros. Era preciso fazer com que isso fosse foco dos interesses públicos, que as autoridades vissem a região como potencial de consumo e trabalho e que promovessem os investimentos necessários para a viabilização do Pólo Industrial.

Em 1993 foi aprovada a lei Estadual que criou o Pólo Industrial de Itaquera, O fato significou a mais importante iniciativa da Associação das Indústrias da região de Itaquera. Era um leque de possibilidades que se abria em benefício da classe empresarial, da população trabalhadora, da economia de mercado e também dos poderes públicos através de arrecadação tributária. Na época, as comunidades festejaram a lei como sendo algo com poder de transformação social.

Também em meados dos anos 90, a Associação teve sua sede própria inaugurada, na Rua João Soromenho,11 , Jardim Nossa Senhora do Carmo, em Itaquera. Campeonatos esportivos, ações comunitárias, palestras, balcões de atendimento, enfim, a AIRI passou a ser um vetor do desenvolvimento local, ampliando seu raio de atuação para todos os setores.

O novo milênio chegou, a Associação continua trabalhando, se fortalecendo, cobrando serviço e exercendo seu papel de liderança no contexto social e econômico de Itaquera e região. No decorrer de sua jornada, a AIRI obedece a filosofia de um trabalho planejado, buscando aprimorar a prestação de serviços prestados à região de Itaquera, mas especialmente à comunidade produtiva e industrial, da qual é legitima representante.

Rua João Soromenho, 11 - 08280-570 - Itaquera - São Paulo - SP - Tel./Fax: (11) 2748-8291